Ação de sensibilização sobre prevenção do consumo de substâncias aditivas

  • Nova imagem (1)
  • Nova imagem (2)
  • Nova imagem (3)
  • Nova imagem (4)
  • Nova imagem (5)
  • Nova imagem

A saúde e o bem-estar de muitos jovens estão seriamente ameaçados pelo consumo de álcool e de outras substâncias psicoativas. Muitas crianças são vítimas das consequências do consumo de álcool/ drogas por terceiros, em particular por familiares, que tem como resultado a ruptura familiar, a pobreza económica e emocional, a negligência, o abuso, a violência e a perda de oportunidades. Com o objectivo de sensibilizar os alunos de sexto ano para a importância de evitar as dependências e, ao mesmo tempo, prevenir o consumo de substâncias aditivas, organizou-se, em parceria com os agentes do “Programa Escola Segura”, da Polícia de Segurança Pública, uma sessão de informação/sensibilização no dia 17 de fevereiro de 2016. Durante a sessão, o agente Pereira falou dos diversos tipos de drogas, dos seus efeitos a nível pessoal e social e, de uma forma muito simples e com linguagem clara, deu alguns exemplos reais, falando de seguida das drogas legais e ilegais e sobre o consumo das mesmas, as suas consequências para a saúde e desempenho das capacidades intelectuais e profissionais, lembrando que estas são responsável por muitos acidentes de viação, trabalho, desconcentração, agressividade, conflitos etc.. Tentou desmistificar alguns mitos (falsos) destas substâncias, por exemplo, que dão coragem, aquecem, dão força e são um remédio, referiu que “é necessário saber dizer não” a todo o tipo de substância aditiva. São estas pequenas coisas que é preciso falar aos nossos alunos, no sentido de intervir de forma atempada para os prevenir e evitar que recorram a estas drogas lícitas e ilícitas. Também explicou aos alunos o que é a taxa de alcoolemia no sangue e com o alcoolímetro alguns alunos “sopraram ao balão” para medir a taxa de alcoolemia. O Agente Pereira acrescentou que há fatores que interferem na taxa de alcoolemia no sangue tais como: o peso, idade, sexo etc. Assim, facilmente se compreende que a mesma quantidade de álcool, contida na mesma bebida, ingerida por pessoas diferentes origina taxas de alcoolemia diferentes. O processo de eliminação do álcool é lento. Este processo não pode ser apressado por nenhum meio, assim como não é possível eliminar os efeitos do álcool. O entusiasmo dos alunos era tanto que todos eles queriam “soprar ao balão” bombardeando ao mesmo tempo o Agente da Escola Segura com questões relacionadas com o tema. Ficou assim a mensagem “é de fulcral importância que os jovens, com vista à sua própria segurança e à dos outros utentes que moderem o consumo de substâncias aditivas”. Os alunos mostraram-se muito interessados de participativos, pelo que o balanço é, para nós, muito positivo, pois consideramos que estes momentos são espaços privilegiados para fazer a prevenção de comportamentos desviantes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *